terça-feira, 26 de março de 2013

Os 12 Macacos

Há muitos anos, quando eu era moleque, tinha muito mais tendências nerds do que hoje, quando sou apenas um cara comum que gosta desse tipo de coisa. Algo que alguns nerds têm em comum é o gosto para fazer listas de top isso, top aquilo ou top aquele outro. Todos esses rankings, é claro, se tratam sempre de assuntos ligados à cultura pop.
Eu não fui diferente. Embora hoje não faça mais isso, quando tinha, digamos, dezesseis ou dezessete anos, também fazia minhas listas pessoais de melhores livros, melhores músicas e, é claro, melhores filmes.
Embora não me lembre exatamente da ordem do tal ranking, consigo me recordar da maioria dos títulos que faziam parte da lista. E, já nessa época, eu tinha um gosto por filmes que "viajam e te fazem viajar".
Se não me engano, a ficção científica Os Doze Macacos (Twelve Monkeys, 1995) ocupava o segundo lugar na minha lista. Adoro esse filme desde a primeira vez que o vi, há milhares de anos. E não devido apenas às críticas à raça humana (nem sempre) implícitas no roteiro. E nem por algum outro motivo mais "sério".
Gosto de Os Doze Macacos simplesmente por gostar de Os Doze Macacos. Não é porque o filme é relativamente cult - e nem é tanto assim - que somente os intelectuais insuportáveis possam gostar. Esse também é uma produção que prende a atenção e, como disse antes, te faz viajar.
Assim como vááááááários filmes de ficção científica já produzidos, o o futuro da humanidade em Os Doze Macacos também é pós-apocalíptico. Em 1996, um vírus de origem desconhecida  dizimou 99% da população humana da Terra e os sobreviventes foram obrigados a se refugiar no subsolo. Mais de três décadas depois, já com a tecnologia necessária para que as pessoas viajem no tempo, os cientistas passam a enviar criminosos condenados ao passado para descobrir pistas sobre a origem do vírus. Um desses criminosos é James Cole (Bruce Willis), escolhido por ter "boa memória".
As únicas pistas que os cientistas do futuro têm é a informação do envolvimento de um grupo revolucionário chamado de O Exército dos Doze Macacos. Contudo, enviam Cole ao ano errado e ele é internado em uma instituição psiquiátrica, onde conhece Jeffrey Goines, filho de um renomado... virologista!
Embora pouca gente realmente conheça esse filme, é considerado como um dos vinte melhores filmes de ficção científica da história. Com a participação de Madeleine Stowe como a psiquiatra que cuida de Cole e tem papel importante na trama, Os Doze Macacos foi indicado a dois Oscar - Brad Pitt como ator coadjuvante e Julie Wess pelo figurino - e foi dirigido por Terry Gilliam (de O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus).

É um daqueles filmes que ficam melhores quando vistos pela segunda vez.

Os Doze Macacos (Twelve Monkeys, 1995) - trailer
 

Nenhum comentário: