terça-feira, 26 de março de 2013

O terror do Século XX


Padre Damien Karras: "Onde está Regan?"
Demônio: "Aqui. Conosco."

Apesar de Atividade Paranormal e A Bruxa de Blair terem me dado (desculpem!) mais cagaço, acho que o clássico O Exorcista (1973) é muito mais assustador se levado em consideração a proporcionalidade. Calma, eu explico: o filme em que a garotinha Regan é possuída por um demônio foi lançado no início dos anos setenta, época em que a internet e muitos meios de comunicação de hoje em dia ainda estavam longe de serem lançados. Para um filme causar uma repercussão parecida com a de, digamos, Atividade Paranormal, ele teria que ser impactante o suficiente para superar essas limitações tecnológicas da época.
Além de tudo isso, e sobretudo devido a essa limitação da capacidade de divulgar e disseminar informações na época, a produção de O Exorcista sempre foi rodeada de mistério, lendas de bastidores e histórias sombrias. Há alguns anos, o Fantástico fez uma matéria dizendo que alguns membros da produção perderam a vida durante o período de filmagem do longa. Outra história dizia que uma gestante que fazia parte da equipe perdeu o bebê. A verdade é que, ainda hoje, muitas dessas histórias nunca foram confirmadas, embora realmente dois membros do elenco do filme tenham morrido um pouco antes do lançamento de O Exorcista nos cinemas: o ator Jack MacGowran (que interpretou Burke Dennings) perdeu a vida devido a uma epidemia do virus Influenza aos 54 anos de idade, e a grega Vasiliki
Maliaros (que sequer era atriz e fez o papel da mãe do Padre Karras) morreu aos 89 anos.
Quando vi O Exorcista pela primeira vez - por volta dos 15 anos de idade - apesar da internet já estar relativamente acessível, os muitos mitos relacionados à produção do filme ainda eram um mistério para mim e, de certa forma, soavam como verdadeiros. Acho que comecei a assisti-lo tão na defensiva e achando que seria tão terrível, que não me impressionei tanto quanto esperava, mas a verdade é que ainda hoje o filme de Friedkin é capaz de chocar, sobretudo por aquela aura meio assustadora e misteriosa das coisas antigas.

O Exorcista sem dúvida foi um marco e a base de muitas produções no gênero lançadas até os dias de hoje. Mesmo filmes que não tinham exorcismo como tema principal usaram de artifícios vindos originalmente do filme de Friedkin, como por exemplo Constantine e o espanhol [REC] 2.
Um dos principais pontos positivos de O Exorcista é a simplicidade da história e o descompromisso de ter que explicar tudo ao expectador. As coisas acontecem simplesmente porque são assim e ponto final. Digo isso pegando como exemplo o que os produtores de Atividade Paranormal e A Bruxa de Blair tentaram fazer com as franquias ao produzir as duas sequências: explicar o motivo dos acontecimentos dos filmes originais.
O prólogo de O Exorcista começa em uma escavação arqueológica no Iraque. O Padre Merrin encontra uma curiosa e assustadora estatueta do que parece ser um demônio. A expressão no rosto de Merrin ao se deparar com o estranho ídolo revela que aquele não é o primeiro contato do padre com aquela imagem.
O filme corta para Georgetown, nos Estados Unidos, onde a atriz Chris MacNeil está morando temporariamente com a filha Regan, por estar trabalhando em um filme. Ali perto, na Universidade de Georgetown, o Padre Damien Karras, um tipo de consultor psiquiátrico de outros membros da Igreja, passa por uma crise pessoal, com a mãe doente e alguns questionamentos sobre a sua própria fé.
Os caminhos de Merrin, Chris, Regan e Karras começam a se cruzar quando a garotinha de 12 anos passa a ter alguns comportamentos estranhos. Os médicos dizem a Chris que aquilo pode ser um distúrbio cerebral, mas os exames não revelam nada. Enquanto o estado de Regan piora a cada dia, a crise do Padre Karras chega ao limite quando começa a se sentir culpado pela morte da mãe.
Os médicos de Regan passam a achar que o problema com a garota não seja somático, mas apenas psicológico. Aconselham Chris a procurar a ajuda religiosa, não por acreditarem nessas coisas, mas porque tal ajuda faria Regan acreditar estar sendo libertada do que quer que a garota pense estar dentro de seu corpo. Chris procura a ajuda de Karras, que fica em dúvida se aquele é um caso psíquico ou se realmente há a
necessidade de um exorcismo. Depois de apresentar provas à Igreja, o ritual é autorizado e, para a missão é chamado o Padre Merrin, que já havia feito algo parecido dez anos antes, na África.
Vi as duas versões de o Exorcista. A antiga, lançada em 1973 e a Versão do Diretor, lançada em 2000 com onze minutos de cenas cortadas da versão original, que inclui a assustadora parte em que Regan desce as escadas "engatinhando" de costas.
O Exorcista é, definitivamente, o melhor filme de terror de todos os tempos.

O Exorcista - trailer

Nenhum comentário: