terça-feira, 26 de março de 2013

O Morcego de Burton

Há alguns anos, antes da atual febre de adaptações cinematográficas baseadas nos super-heróis dos quadrinhos e da revitalização do Batman nos cinemas pelas mãos do diretor Christopher Nolan, Tim Burton já havia feito um longa-metragem de bastante sucesso do Homem-Morcego. Na verdade, foram dois longas, mas este post fala exclusivamente do primeiro filme da franquia, de 1989.
Quem assistir o filme de Burton pela primeira vez depois de ver Batman Begins (2005) e O Cavaleiro das Trevas (2008), certamente vai achar o longa de 1989 um tanto infantil demais. Inocente, talvez. Teatral, com certeza. No entanto, antes da atual e bem-sucedida franquia de Nolan, o Batman de Burton era uma das melhores adaptações das HQ's para o cinema já feitas. Eu, quando moleque, não perdia a oportunidade de ver esse filme quando passava na Sessão da Tarde.
Embora a maioria dos fãs mais fervorosos do Homem-Morcego ainda torça o nariz para a escolha de Keaton para o papel principal, pessoalmente eu não acho que ele tenha decepcionado tanto. É claro que eu concordo que fisicamente ele não era o ator mais adequado para interpretar o personagem, mas no que diz respeito ao seu trabalho, acho que Keaton foi relativamente bem. Não foi genial, mas competente o suficiente.
Contudo, assim como no recente O Cavaleiro das Trevas, quem rouba a cena em Batman é o Coringa. Se Heath Ledger arrebentou como o arqui-inimigo do herói no filme de Nolan, Jack Nicholson também teve uma atuação antológica como o Palhaço do Crime no filme de 1989. Não há como comparar um trabalho ao outro. O sombrio e psicótico Coringa de O Cavaleiro das Trevas não teria lugar em Batman, assim como o divertidamente insano Coringa de Nicholson não faria muito sentido no filme de 2008.
Há outros aspectos interessantes no filme da década de oitenta. Um deles é o figurino das pessoas de Gotham City, que mais parece algo vindo dos filmes de gângsteres dos anos 30. Esse lado meio noir da vestimenta dos personagens também teria lugar no desenho de sucesso Batman Animated, no começo da década de noventa.
Outro fator de destaque em Batman é a lendária trilha sonora de Danny Elfman. Aliás, o esquisitão Prince também tem créditos na música desse filme - é dele a canção que toca na cena em que o Coringa distribui dinheiro para a população de Gotham (!!!).

Embora se visto nos dias atuais o Batman de Burton possa ser encarado com desconfiança, a verdade é que hoje já se tornou um clássico do gênero.
Batman (1989) - trailer

Nenhum comentário: