sexta-feira, 22 de março de 2013

Misery

Stephen King não é o escritor mais sortudo do mundo quando o assunto se refere a adaptações de seus livros para o cinema... mas também não é o mais azarado.

Embora existam verdadeiras pérolas (no mal sentido) como Colheita Maldita e Desespero, muita coisa boa foi produzida vinda de histórias do autor. Além dos já citados anteriormente por aqui À Espera de Um Milagre e Um Sonho de Liberdade, em 1990 seu romance Misery se transformou em um ótimo filme estrelado por Kathy Bates e James Caan (o Santino Corleone de O Poderoso Chefão).
Apesar de não poder dizer se Louca Obsessão foi uma adaptação fiel (não li a obra original), é tão claustrofóbico quanto algumas outras histórias de King. No conto A Balada do Projétil Flexível, um personagem diz que a primeira coisa que lhe ensinam em qualquer curso universitário sobre escrita criativa é para escrever sobre o que conhece. Talvez por isso seja tão comum que vários personagens de King sejam exatamente escritores.
Assim como é um escritor Paul Sheldon, protagonista de Louca Obsessão. Excêntrico como a  maioria deles, Sheldon tem a mania de se isolar em um hotel no interior do Colorado para escrever seus livros. Depois de terminar seu último romance da antologia Misery, Paul sofre um acidente automobilístico ao enfrentar uma nevasca. Contudo, antes que morra congelado nos bosques, é resgatado.
Ao acordar, o escritor se vê em uma cama, seriamente ferido, com as duas pernas quebradas. A pessoa que o salvou é a enfermeira Annie Wilkes, que diz ser sua fã número 1. Annie diz que ambos estão isolados em sua casa devido ao mau tempo e que, por isso, Paul ficará sob seus cuidados até que melhore.
Como uma espécie de recompensa, Sheldon deixa que Annie seja a primeira pessoa a ler o manuscrito de seu futuro livro que encerra toda a série Misery. Contudo, ao chegar no final da história, Annie se dá conta de que a personagem principal morre e, em um acesso de loucura, obriga Sheldon a destruir o manuscrito. A partir de então, a única maneira de Paul ter alguma chance de sair dali com vida é escrevendo um novo romance trazendo Misery de volta À vida.

Kathy Bates tem, sem dúvida, a melhor atuação de sua carreira. Por sua Annie Wilkes, levou o Oscar de Melhor Atriz.


Misery (1990) - trailer
 

Nenhum comentário: