quinta-feira, 21 de março de 2013

Caçada Urbana

Os pouquíssimos que acompanham este blog sem dúvida já perceberam que, no que se refere ao gosto pela cultura pop, eu não faço muitas distinções. Não tenho gêneros de arte bem definidos. Tanto leio O Silêncio dos Inocentes quanto Turma da Mônica. Tanto ouço - ou costumava ouvir - Roxette quanto Metallica.

Posso gostar tanto de coisas cult quanto comerciais. De preferência, aquilo que mescla os dois.

Gosto de algumas franquias cinematográficas do que chamo de ficção científica meio nerd.. Entre os filmes de ação incluídos no gênero, um dos meus favoritos eternos é O Predador (1987), estrelado por Arnold Schwarzenegger. Particularmente, é meu filme favorito com o ex-governador da Califórnia, embora também adore os dois primeiros O Exterminador do Futuro.

Stephen Hopkins, dirigiu a sequência do universo do maior caçador do cinema em 1990, com Predador 2. Obviamente é inferior ao primeiro filme, mas é longe de ser ruim. Um dos aspectos mais complicados ao se fazer uma sequência, o roteiro, foi razoavelmente caprichado e expandiu bastante a mitologia do personagem-título
Se antes o ambiente era uma selva da América Central, dessa vez o pau come no meio de uma Los Angeles em pé de guerra entre facções de traficantes, a máfia e uma polícia cada vez mais desacreditada. A história se passa dez anos depois dos acontecimentos do primeiro filme e o tenente Mike Harrigan se vê no meio do conflito contra o crime organizado. No entanto, membros de várias gangues começam a ser mortos por um novo "jogador" na cidade. É claro que se trata de um Predador, espécime de uma raça alienígena que caça seres humanos por esporte, sempre seguindo um código de honra de matar apenas aqueles mais valorosos em combate. Por isso, o Predador acompanha de perto o tenente Harrigan, o mais durão da polícia de Los Angeles.
Harrigan, por sua vez, se vê intrigado com o surgimento de um agente federal que assume as investigações junto da sua equipe. Com isso, o tenente imagina se não está lidando com algo muito maior do que pensa.

Embora tenha boas cenas de ação e um enredo plausível e sem exageros - guardadas as devidas proporções - esta sequência merecia um elenco melhor. Danny Glover não convence como policial durão à altura de enfrentar um Predador. Fico imaginando, por exemplo, como Clint Eastwood ficaria no papel e... bem, melhor nem pensar nisso.
Além disso, o diretor Stephen Hopkins comete uns deslizes desnecessários. Por se passar em um futuro próximo - o filme é de 1990 e a história se passa em 1997 - tentaram criar umas armas avançadas para a polícia, coisas que pareciam ter saído de um episódio de Star Trek.

Quando disse que Predador 2 fez do Universo do personagem algo muito maior, tive minhas razões. A primeira é o fato de que fica claro que a presença deles no nosso mundo não se tratou apenas do caso isolado do primeiro filme. A segunda - e mais legal! - razão é a cena em que Harrigan chega à nave do Predador no final do filme e se depara com sua sala de troféus. Além de um crânio de Tiranossauro exposto ali, há a cabeça de um ALIEN (!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!). Provavelmente foi só um tipo de brincadeira na época, mas é fato de que 14 anos depois a Fox lançou o bom Alien Versus Predador, que mesclou definitivamente as duas franquias.

Mais nerd, impossível.
Predador 2 - trailer
 

Nenhum comentário: