sábado, 15 de dezembro de 2012

Os 20 Maiores Filmes de Todos os Tempos - 17º Harry Potter and The Order of The Phoenix (2007)

 - Você perdeu, velho!
 - VOCÊ  é o fraco. E nunca conhecerá o amor ou a amizade. E eu sinto muito por você!


Texto publicado no site Omelete em julho de 2007, escrito por Érico Borgo

Não estivesse ali Daniel Radcliffe, dificilmente seria possível adivinhar que as cenas iniciais de Harry Potter e a Ordem da Fênix fazem parte da série baseada nos livros de J.K. Rowling.
O apuro estético - o contraste das cores, a movimentação de câmera, o enquadramento - do começo do filme chega a ser chocante. David Yates, diretor que até então era apenas conhecido pelos seus premiados trabalho na televisão inglesa, entra com o pé na porta na franquia e entrega um dos melhores Harry Potter até aqui.
Passado o choque inicial, incluindo aí sustos verdadeiros graças ao ataque dos Dementadores, o filme retoma a estética consagrada da série, mas não o seu tom. Esqueça a criançada boazinha que estava aprendendo a atuar nos filmes anteriores. Yates é excelente diretor de atores e extrai dos jovens protagonistas momentos inspirados. Rupert Grint (Ron Weasley) não é mais o palhaço, Emma Watson (Hermione Granger) parou de chorar. Os jovens, agora líderes de sua geração, sofrem de verdade - e até sangram, veja só.
O trabalho do cineasta é diferente de toda a série e funciona mais como a primeira parte de uma trilogia final do que como uma continuação. Obviamente é necessário ter conferido os demais filmes pra entender tudo, mas a impressão de recomeço é intensa, especialmente pelo fim do fascínio que deu as caras em todos os filmes da série até aqui (nada de fantasmas, corujas, quadribol, risadas...). Já é o quinto ano em que Harry Potter (Radcliffe) vive naquele mundo, quase metade de sua vida, então é hora de parar com a expressão de assombro pelo mundo mágico e começar a encarar de verdade os piores defeitos daquele universo. E eles não são poucos aqui...


VOCÊ PERDERÁ TUDO


Na casa dos tios, Harry está furioso, sentindo-se abandonado pelos amigos e seu mentor, Alvo Dumbledore (Michael Gambon). Seu retorno ao mundo mágico, porém, não é satisfatório como nos outros anos. Depois de ser forçado a empregar suas habilidades mágicas sem autorização, Harry acaba exposto à burocracia e ao jogo sujo da política no Ministério da Magia. Sua volta à Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts não é menos traumática. O órgão que regulamenta o mundo mágico está controlando a instituição - e há uma campanha de desmoralização de Harry, tratando seus encontros com Lorde Voldemort (Ralph Fiennes) como mentiras. Sem apoio, e sentindo uma crescente conexão com o mago do mal, cabe ao jovem bruxo assumir as rédeas de sua vida e seu papel, ensinando os amigos como se defenderem das Artes das Trevas e preparando-os para a cruel batalha que se aproxima.
As principais adições ao elenco são Imelda Staunton, que vive a retrógrada professora Dolores Umbridge - a grande vilã do episódio -, e a estreante Evanna Lynch, como a misteriosa Luna Lovegood. A primeira emprega sua enorme competência habitual ao papel, e a novata, escolhida entre 15 mil candidatas, tem desempenho igualmente feliz. Ou melhor... ela garante ser assim na vida real, portanto não dá pra chamar de atuação o que ela apresenta na tela. De qualquer forma, a estranhíssima Luna está muito bem representada no filme. A terceira grande novidade no elenco é Helena Bonham Carter como a seguidora de Voldemort Bellatrix Lestrange. O papel é pequeno e pouco expressivo neste, mas vale como introdução ao próximo filme, no qual ela terá muito mais trabalho.
Outra novidade é o compositor Nicholas Hooper, que utiliza apenas pequenos trechos do tema original de John Williams, o que distancia ainda mais este filmes dos demais e sedimenta a impressão de novo momento para a série. Mas não se engane. Em meio a todo esse clima sombrio e voltado às relações entre os personagens, Yates não economiza nos efeitos especiais - que ele domina surpreendentemente bem! - e o clímax é intenso e repleto de ação.
Sábia decisão dos produtores darem também o sexto filme também a David Yates (que ele já define como menos sombrio e mais "rock´n´roll"). É definitivamente um cineasta que queremos ver mais uma vez (ou quem sabe duas?) na série.


Harry Potter and The Order of The Phoenix (2007)
Harry Potter e A Ordem da Fênix
Dirigido por David Yates
Escrito por Michael Goldenberg (roteiro) e J.K. Rowling (livro)

Daniel Radcliffe
Emma Watson
Rupert Grint
Ralph Fiennes
Gary Oldman

Indicado a 2 BAFTA's: Design de produção e efeitos especiais.


Data de estréia no Brasil: 11 de julho de 2007


Harry Potter and The Oder of The Phoenix (2007) - trailer



Fotos











Nenhum comentário: