quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Os 20 Maiores Filmes de Todos Os Tempos - 8º Gladiator (2000)

 - O que fazemos em vida ecoa na eternidade.


Nada como um épico de grande magnitude para encerrar o primeiro século de existência do cinema.
Gladiador não tem um roteiro cerebral cheio de surpresas, nem um personagem engraçado que serve como contraponto humorístico. Apenas a boa e velha jornada do herói em busca de vingança. Nem sempre isso é o suficiente para render uma boa história, mas funciona muito bem neste caso. Méritos de Ridley Scott, que acertou na maioria dos detalhes da produção, desde a escolha de Hans Zimmer e Lisa Gerrard para a trilha sonora até a ótima fotografia e efeitos especiais. Isso sem falar, é claro, do elenco de primeira qualidade.
Não há nada de inovador em Gladiador se comparado aos grandes épicos lançados anteriormente - exceto, é claro, no aspecto técnico. De certa forma, é bem parecido com Coração Valente, outro filme do gênero lançado apenas cinco anos antes. Contudo, mesmo os clichês podem render uma história cativante: as virtudes do herói e os vícios do vilão, por exemplo.

O GLADIADOR QUE ENFRENTOU UM IMPÉRIO

Em 180 d.C., liderado pelo general Maximus, o exército romano conquista a vitória definitiva sobre os germânicos. Tudo o que o general deseja é retornar para casa, mas o Imperador Marcus Aurelius pede para que Maximus assuma o poder após a sua morte e devolva Roma ao povo. Enciumado, Commodus, filho de César, mata o pai e, como novo imperador, ordena a morte de Maximus e de sua família. O agora ex-general renegado sobrevive, mas não impede o massacre contra sua mulher e filho. Ferido, é capturado, vendido como escravo e é obrigado a lutar como gladiador em pequenas províncias romanas. Contudo, o novo César promove 150 dias de jogos no Coliseu como forma de manter a plebe distraída e Maximus tem agora a chance de se encontrar frente a frente com Commodus.

Enquanto Maximus é um herói nato, bravo e corajoso, Commodus é a antítese de tudo isso, mas tem o poder de um imperador. Para igualar o handicap, o ex-general tem a missão de conquistar a plebe como o melhor Gladiador a lutar na arena do Coliseu.


Gladiador é grandioso em todos os aspectos, técnicos e ficcionais. A síntese disso pode ser mostrada na belíssima canção tema, chamada Now We Are Free, de Hans Zimmer e Lisa Gerrard.

Gladiator (2000)
Gladiador
Dirigido por Ridley Scott
Escrito por David Franzoni (história e roteiro), John Logan (roteiro) e William Nicholson (roteiro)

Russell Crowe
Joaquin Phoenix
Connie Nielsen
Oliver Reed
Richard Harris
Derek Jacobi
Djimon Hounsou

Vencedor de 5 Oscars: Som, Figurino, Efeitos Visuais, Ator (Russell Crowe) e Filme.
Indicado a outros 7 Oscars: Direção de Arte, Fotografia, Edição, Roteiro Original, Trilha Sonora, Ator Coadjuvante (Joaquin Phoenix) e Diretor.
Vencedor de 2 Golden Globes: Trilha Sonora-Filme e Filme-Drama.
Indicado a outros 3 Golden Globes: Diretor, Ator (Russell Crowe) e Ator Coadjuvante (Joaquin Phoenix)
Vencedor de 4 BAFTA's: Fotografia, Edição, Design de Produção e Filme.
Indicado a outros 10 BAFTA's: Trilha Sonora, Efeitos Visuais, Figurino, Maquiagem, Ator (Russell Crowe), Ator Coadjuvante (Joaquin Phoenix e Oliver Reed), Roteiro Original, Som e Direção.

Gladiator (2000) - trailer 1


Trailer 2


Trailer 3




Fotos






3 comentários:

José Antônio (Jam) disse...

Muito bom o seu post! Só poderia ter demorado décadas para escrevê-lo! (rs)Muitos pensam que escrever sobre determinado assunto é só despejar na tela de um computador tudo o que vier na cabeça (quer dizer, não deixa de ser uma forma, né?), mas eu preferido a moda antiga que demanda pesquisa,pesquisa e mais pesquisa. Com certeza no post, vc optou por essa 'linha'. Bem, mas quanto aos filmes da lista só não assisti ao "Clube da Luta". Ainda vou ver, mas pretendo ler o livro primeiro. Uma velha mania minha: "Leia primeiro, assista depois". De fato, os filmes votados tiveram uma grde importância para a sétima arte.
Abcs!!

Augusto Fernandes Sales disse...

Deu MUUUUITO trabalho mesmo. Só volto a fazer algo do tipo daqui a uns 32 anos.

Abraço!

Lidia Sales disse...

Ops., depois do comentário do José Antonio, tenho de ter cuidado para não escrever o que me vem à cabeça.
Em todo o caso, o Russel Crown, que me passa ser "arrogante" fez jus ao Oscar de melhor ator.
Vale a pena conferir!