domingo, 25 de setembro de 2011

Bastardos!

O Tarantino é meio xarope das idéias, isso é fato. O cara começou a carreira de diretor com Cães de Aluguel, em 1992 (que início!) e já dois anos depois arregaçou tudo de vez com Pulp Fiction! O sujeito é totalmente nerd e deixa transparecer isso em seus filmes, com o estilo da linguagem de Histórias em Quadrinhos. Em alguns filmes, há também referências diretas à HQ's.
Bastardos Inglórios tem, sem dúvida NENHUMA a cara do Tarantino. Várias histórias entrelaçadas, trilha sonora legal e pouquíssimos clichês no roteiro. Há também o fato de que, nesse filme em particular, o cara brinca com a História e faz isso com muito estilo.
O filme se passa durante a Segunda Guerra Mundial. Os bastardos em questão são um grupo secreto do exército americano especializado em matar nazistas. Só isso: MATAR nazistas, nada mais. Bom, talvez eles façam algumas coisas com os nazistas depois de mortos, mas puramente por causa dos "caprichos" do sangue indígena(!!!) do líder desse grupo. Há outras histórias no filme que se amarram no final, mas não vou estragar a surpresa. Se puder, assista.
Difícil definir qual é o melhor filme de Quentin Tarantino. Junto com o Chris Nolan, é o meu diretor favorito. Gostei de tudo que vi feito por ele, com exceção, talvez de Prova de Morte e ainda assim devido à edição brasileira.
Cães de Aluguel, o filme que marcou sua estréia, tem uma história relativamente simples, trilha sonora baseada nos programas de rádio nos anos 70 e já mostra um pouco desse "desprezo" pelo clichê que eu mencionei acima.
Pulp Fiction tem uma história também simplória, mas muito pouco previsível. A trilha sonora  segue o mesmo estilo de Cães de Aluguel e tem os típicos diálogos-irrelevantes-mas-legais.
Bastardos Inglórios tem as características dos filmes acima, exceto pela trilha sonora. Boa parte da música vem diretamente dos velhos faroestes do Sergio Leone. O roteiro também é MUITO mais ousado do que os anteriores. Basta ver a última cena em que Hitler aparece no filme e você vai entender do que eu estou falando.
Bastardos concorreu ao Oscar de melhor filme e direção (entre outros, dos quais só venceu à categoria de ator coadjuvante com Christoph Waltz, merecidamente). Sinceramente gostei muito mais desse do que Guerra ao Terror e de Avatar, embora esses dois também tenham sido bons. Bom, de qualquer forma, EU teria dado os prêmios de melhor filme e melhor direção a Bastardos Inglórios, assim como o de edição, talvez.

Vale a pena!

Nenhum comentário: