domingo, 19 de junho de 2011

Pragas Espaciais

Na história do cinema, são raros os casos de sequências melhores ou que se equiparem aos originais. Todo mundo sabe disso e eu já fiz essa afirmação várias vezes aqui (mas nunca é demais repetir, certo?). Desses casos, podemos citar o segundo Exterminador do Futuro, O Cavaleiro das Trevas e Toy Story (o terceiro. Pelo menos é o que dizem, ainda não vi). Algumas pessoas poderiam citar a trilogia Matrix nessa categoria, mas na minha opinião os três filmes estão no mesmo nível.
Também falando no gênero ficção científica, outro que entra nessa categoria das franquias que não foram detonadas pelo seu segundo filme é Aliens (1986), sequência do longa de Ridley Scott, de 1979. Dessa vez dirigido pelo então futuro especialista em bilheterias bilionárias James Cameron, esta sequência, se não é melhor, também não deve nada o primeiro filme. Além disso, dá ainda mais grandiosidade à saga, já que, se o primeiro filme nos traz um personagem badass, o segundo nos dá a dimensão de que ele era apenas um espécime de toda uma espécie.
Aliens começa, teoricamente do ponto onde o primeiro filme parou. A nave em que Ripley e Jonesy escaparam continua à deriva no espaço e ambos continuam nas câmaras de hibernação, dormindo. Isso até que a nave é encontrada por uma equipe da Terra e é resgatada.
Sob os cuidados da Companhia Weyland-Yutani (seus empregadores), Ripley descobre que ficou vagando pelo espaço durante 57 anos e que sua filha morreu idosa, há dois. A Companhia, por sua vez, desconfia do relatório de Ripley sobre os acontecimentos que culminaram com a destruição da Nostromo, já que o planeta LV-426 foi colonizado pelos humanos há duas décadas e a espécie alienígena nunca foi encontrada por lá.
Tempos depois, a colônia em LV-426 perde contato com a Terra e a Companhia decide enviar uma equipe para investigar. Ripley, a contragosto, é enviada como "consultora" junto com a equipe de fuzileiros responsável pela missão. Mesmo assim, Ripley teme que as intenções da Companhia não sejam tão nobres e que a empresa esteja interessada em capturar os aliens com vida para estudá-los.
Ao chegar no planeta alienígena, a tripulação descobre que os aliens simplesmente infestaram toda a colônia e exterminaram toda a população humana presente ali, exceto por uma garotinha que é encontrada sob os dutos de ventilação. Naturalmente, Ripley "adota" a garota e passa a protegê-la. As coisas, no entanto, ficam complicadas quando a equipe perde contato com a nave principal que orbita o planeta e tem que arranjar um modo de sair dali. Isso somado ao fato de que as desconfianças de Ripley sobre a Companhia talvez não fossem apenas paranóia...
Aliens teve nada menos do que sete indicações ao Oscar, incluindo Sigourney Weaver como melhor atriz. Venceu nas categorias de Edição de Som e Efeitos Especiais. No elenco, tem a participação de Michael Biehn (o pai de John Connor em O Exterminador do Futuro) e Lance Henrikisen como o andróide Bishop. Henrikisen voltaria a aparecer em Alien Vs Predador (2004) como o dono da Companhia Weyland, numa clara referência a Aliens. Um dos destaques positivos no filme é a atuação da pequena Carrie Henn, que interpreta a garotinha resgatada Newt. Curiosamente, foi o único filme dela, que nunca havia interpretado nenhum papel na vida (nem mesmo na escola) e não voltou a interpretar depois de Aliens. Segundo informações, hoje em dia é professora e ainda mantém contato com Sigourney Weaver.
Ah, eu não poderia terminar esse post sem dizer isso, mesmo que estrague a surpresa para quem ainda não viu Aliens: na segunda metade do filme, Ripley se dá conta de que os ovos aliens do primeiro filme foram, obviamente, botados por alguma coisa. Então, adivinhe quem também aparece no filme?

Aliens - Trailer
video

Nenhum comentário: