domingo, 5 de dezembro de 2010

Em tempos de Harry Potter...

Há alguns dias eu troquei meu 3G da Claro (estava horrível) pelo da Oi! e pelo menos por enquanto minha net está com uma velocidade possível de se ver videos. Agora à noite fiquei vadiando pelo VocêTubo, vendo o que aparecia na frente, até que, de alguma forma, cheguei em A História Sem Fim (Neverending Story, no original). Como esse filme marcou tanto, mas taaaaaaaanto a minha infância, resolvi postar alguma coisa sobre ele aqui.
Deve fazer por volta de dezesseis ou dezessete anos desde a última vez que vi a História Sem Fim. Pra falar a verdade, nem me lembro exatamente de todos os detalhes da história. Sei que começa com um menino chamado Bastian sendo importunado por uns valentões. Se eu não me engano, ao fugir desses outros meninos, ele vai parar em uma livraria e escondido, começa a ler um livro chamado A História Sem Fim. Então nos vemos dentro da história do livro, acompanhando as aventuras do guerreiro-mirim Atreyu e seu cavalo Artax. Não lembro direito qual é o propósito da jornada deles, mas sei que tinham uma missão específica que envolvia uma imperatriz-menina, um dragão parecido com um cachorro e um inimigo com aparência de lobo. Também me lembro do final do filme.
Guardadas as devidas proporções, talvez A História Sem Fim tenha sido para o "eu criança" o que Harry Potter, As Crônicas de Nárnia e o mais recente A Lenda dos Guardiões sejam para a molecada atual. Mas acho que na minha época a coisa era mais inocente do que é hoje. Mais mágica. A gente nem reparava nessas coisas dos efeitos especiais. Provavelmente se você mostrar esse filme para alguma criança dos dias de hoje, ela vai começar a dar risada da sua cara. Mas posso estar errado, é claro!
Pesquisando um pouco mais, descobri que o diretor do filme é o alemão Wolfgang Petersen, o mesmo de Epidemia (1995), Força Aérea Um (1997), Mar em Fúria (2000) e Tróia (2004). O ator que interpretou o Bastian virou professor de fotografia (quem diria?) e o ator que fez o Atreyu fez várias coisas, entre elas tatuagens, dança e corridas de motos.
Na net, consegui poucas imagens legais do filme, mas pelo menos achei o trailer e uma das cenas mais dramáticas, além é claro, do clipe da belíssima música-tema.







Quando eu trabalhava na loja de departamentos, fiquei adiando a compra do DVD do filme várias vezes. Não comprei e agora está bem difícil pra encontrar. Acho que vou ter que esperar pelo Blu-Ray.
Paciência, não se pode ter tudo.

P.S. Fizeram duas sequências desse filme, mas elas são tão ruins, mas tããããão ruins que achei melhor nem mencioná-las, embora as esteja mencionando agora. PFFF!

Nenhum comentário: