quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Gavião Negro (1990)

Apesar de estar um pouco afastado dos quadrinhos nos últimos tempos (exceto por Vertigo e, é claro, SANDMAN!), escrever o post sobre a história da morte do Superman me motivou a revisitar uma minissérie antiga também publicada pela editora Abril: Gavião Negro, de 1990.
Em meados da década de 80, a (faxina) Crise nas Infinitas Terras reiniciou toda a cronologia da DC Comics. Assim como Superman, Batman e Mulher-Maravilha, o Gavião Negro, personagem pouco conhecido do público em geral,  também teve sua história recontada em uma minissérie própria. 
Com toda a overdose de "Crises" e mega-ultra-super sagas cheias de exageros e apelo comercial que foram lançadas nos últimos anos, na minha opinião "Gavião-Negro" pode ser considerado uma obra-prima. OK, não vou ficar mencionando todas as "metáforas" e referências contidas dentro do roteiro (esse tipo de comentário filosófico realmente me cansa, como por exemplo a comparação com a obra "O Conde de Monte Cristo"), principalmente porque algumas dessas referências eu acabei de descobrir usando o Santo Google e não quero tirar o mérito de ninguém.

Enfim...



Assim como Batman teve Frank Miller e Superman teve John Byrne (roteiristas responsáveis pelas suas reformulações), o Gavião Negro teve Timothy Truman.
A história se passa toda em Thanagar, distante planeta que alcançou a prosperidade através da exploração da matéria-prima e do trabalho escravo de outros mundos. Devido à pouca massa de terra presente no planeta, seus cientistas foram obrigados a criar grandes estruturas verticais para comportar o crescente progresso da sociedade. Um desses cientistas desenvolveu "dispositivos antigravitacionais" (leia-se ASAS) para os seus habitantes se locomoverem entre as torres. E é exatamente o filho desse cientista que se torna o protagonista da história.



Katar Hol é um idealista. Completamente incomodado pelo fato de seu planeta ter perdido completamente a identidade original, ele se alista na polícia de Thanagar, talvez inspirado pelos heróis tradicionais thanagarianos, talvez para sair da sombra do pai. Katar presencia coisas que não teria acesso se permanecesse apenas nas torres, onde vive a alta sociedade. Percebe que o preço pela riqueza de Thanagar é pago pelos "extraplanetários", trazidos apenas para servir e serem descartados no submundo no momento em que perderem a utilidade. Katar também descobre a corrupção presente dentro da força policial de Thanagar e é pego em uma armadilha. Como punição,  é condenado ao exílio em uma ilha.



Dez anos depois, Katar quer sua vingança.

A arte da revista também é excelente. O próprio Timothy Truman assina os desenhos, arte-finalizados por Alcatena e coloridos por Sam Parsons.
A história é uma clara referência à própria história recente humana, desde as descobertas dos novos continentes pelos europeus há alguns séculos à corrupção policial e desigualdade social dos nossos dias. Gavião Negro fecha uma década recheada de clássicos, como Watchmen, A Piada Mortal, Batman - Ano Um e o início de uma série sobre um certo "Mestre dos Sonhos" da qual eu falarei em um futuro post. Com tantos lançamentos comerciais nos últimos anos, às vezes somos obrigados a voltar um pouco no tempo e lembrar de histórias menos pretensiosas e, mesmo assim, excelentes. É uma minissérie que tenho orgulho de ter completa. Mesmo assim, gostaria de ver a Panini republicar essa história. Essas sagas cósmicas atuais são um saco!
Só uma curiosidade: pesquisei essa série no mercadolivre.com, só pra saber quanto está valendo e achei a mini completa por 18 paus! Quem estiver interessado, vale MUITO a pena. Sem falar que é uma raridade.

Abraços, pessoal!

Nenhum comentário: